SSP monta posto Especializado para acolhimento a grupos vulnerabilizados e povos tradicionais

O local também conta com prepostos das Secretarias de Políticas para as Mulheres, de Justiça e Direitos Humanos, de Promoção da Igualdade Racial e dos Povos Tradicionais e de Assistência e Desenvolvimento Social

Pela primeira vez, durante os quatro dias da Micareta de Feira de Santana, a Superintendência de Prevenção à Violência (Sprev) da Secretaria da Segurança Pública conta com um posto Integrado de recepção, acolhimento, atenção e orientação às pessoas em situação de vulneravilidade social.

O espaço montado no circuito Maneca Ferreira conta equipes especializada das Secretarias de Políticas para as Mulheres (SPM), de Justiça e Direitos Humanos (SJDH), de Promoção da Igualdade Racial e dos Povos Tradicionais e de Assistência e Desenvolvimento Social (SADS).

No espaço, as equipes da Sprev divulgam algumas ações e projetos desenvolvidos ao longo de todo o ano para atender ao público. Entre as campanhas aparecem a ‘Ligadas Por Fios’, que recolhe mechas de cabelo para confecções de perucas distribuídas as mulheres em luta contra o câncer, a ‘Cartilha para Atuação das Forças Junto a Migrantes e Refugiados’, Reitegrança, o jogo do Espelho, Prevenir e Agir, do Risque e Rabisque, para o público infantil, e de selos que conferem o reconhecimento de serviços e projetos desenvolvidos por outras instituições e comunidade.

O PI/Sprev funciona durante todos os dias do evento.

“A Sprev tem promovido ações de maior aproximação com a sociedade, mas também transversalizando as suas ações com outras Secretarias que têm pautas correlatas. Nesse sentido, nós trouxemos para a Micareta de Feira, de forma inédita, o primeiro Posto Integrado de Prevenção à Violência. É posto que integrava a SSP, a Sepromi, através do Centro de Referência Nelson Mandela, a SPM e a SEADS, com o programa ‘Corra pro Abraço’, explicou a major Denice Santiago, superintendente da Sprev.

A oficial explicou que a estrutura acolhe questões e demandas relacionadas as mulheres, crianças e adolescentes, pessoas em situação de rua, pessoas que fazem uso e abuso de drogas, a população LGBTQIAPN+, como também ações relacionadas ao Racismo e intolerância religiosa.

“Nossa proposta é de estar aqui, próximo às pessoas, ouvindo as pessoas e fazendo com que o público entenda que a Segurança Pública é um dever de todos”, detalhou Santiago.

Todos os dias

A atividade do posto é marcada também com a distribuição de materiais educativos.

Nos próximos dias do evento, a equipe promoverá a visitação aos postos ocupados pelas forças da Segurança – Polícias Civil, Militar, Técnica e Corpo de Bombeiros Militar -, para manter um diálogo aberto com os servidores em atividade no evento.

“Eu acredito que vamos ter uma festa maravilhosa, durante todos os dias, e vamos seguir de boa”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Próxima postagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Navegue por categoria