Anúncio

Soja: produtores já podem se preparar para semeadura

O MAPA já publicou o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) para a cultura da soja, ano safra 2024/2025

Os agricultores que seguem as recomendações do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (ZARC) — estudo que identifica regiões e épocas de menor risco climático para o plantio e semeadura das culturas — já podem se organizar para o período de semeadura. O Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), instituído pelo Decreto 9.841/2019, já publicou o zoneamento agrícola da soja. Segundo o advogado especialista em direito agrário Francisco Torma, o zoneamento é uma ferramenta que permite definir um calendário propício para o plantio de algumas culturas agrícolas.

“É o período que permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos”, explica.

De acordo com o especialista, após o estudo da área é produzido um calendário com as melhores datas para cada região. “Quanto mais informações forem disponibilizadas, quanto mais informações o produtor tiver sobre as condições ambientais, mais assertivo será o calendário agrícola”, reforça.

Para o analista de mercado de Safras & Mercado Luiz Fernando Gutierrez Roque, “o objetivo é direcionar e trazer informações para os produtores semearem, plantarem, produzirem nas épocas corretas em cada região, em cada estado, para tentar diminuir o risco fora dessas janelas”, ressalta

Conforme Gutierrez, mesmo com situações climáticas não esperadas, ainda assim o período estabelecido é o que apresenta menor probabilidade de perdas: “Não quer dizer que não possa ter problemas climáticos, é óbvio que pode, mas dentro dessas janelas a gente tem, teoricamente, um menor risco, principalmente climático nesse sentido”, analisa.

De acordo com o Ministério da Agricultura, a soja, por exemplo, ao simular a probabilidade de perdas, acontece em torno de 20%, 30% e 40%, devido à ocorrência de eventos meteorológicos adversos.

Confira aqui os períodos de vazio sanitário e de calendário de semeadura de soja em nível nacional, referentes à safra 2024/2025.

Estados para zoneamento

O advogado especialista em direito agrário Francisco Torma diz que a escolha dos estados para o zoneamento agrícola leva em consideração, além dos atributos climáticos, fatores como condições do solo.

“A soja, por exemplo, tem um calendário que evita que sua colheita seja muito tardia e coincida com a chegada do frio, situação climática que não é adequada a esta cultura. Precisam ser unidades federativas que apresentem cultura e variações climáticas consideráveis”, esclarece.

O engenheiro agrônomo Charles Dayer acrescenta mais um fator. Ele destaca que os estados escolhidos foram aqueles com maior produção. “Essas regiões foram separadas pensando na questão da produtividade — e se você faz um extrato elas vão ter um clima semelhante entre si”, analisa.

Estados para zoneamento agrícola

  • Rio de Janeiro
  • Goiás
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Bahia
  • Maranhão
  • Piauí
  • Acre
  • Pará
  • Rondônia
  • Tocantins
  • Minas Gerias
  • São Paulo
  • Paraná
  • Rio Grande do Sul
  • Santa Catarina
  • Distrito Federal.  

Brasil e o potencial de produção

Na opinião do analista de mercado de Safras & Mercado Luiz Fernando Gutierrez Roque, a produção agrícola brasileira tem um grande potencial para exportação. Segundo Roque, as condições climáticas e territoriais colocam o Brasil em uma posição de destaque.

“Tem um ambiente, tem uma geografia favorável à produção de soja na maior parte do país, ou em grande parte do país. Tem terras para serem abertas, digamos assim, ou exploradas nos próximos anos”, salienta.

O engenheiro agrônomo Charles Dayer ainda acrescenta: “O Brasil já tem questão de maquinaria agrícola desenvolvida, tecnologia de semente desenvolvida, a técnica dos produtores é desenvolvida — então o Brasil é uma potência mundial em produção de soja. Essa ferramenta pode ajudar a manter ou elevar, até dependendo da situação, a produtividade”, observa.

O Ministério da Agricultura e Pecuária alerta que os agricultores que seguem as recomendações do ZARC estão menos sujeitos aos riscos climáticos e podem ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao prêmio do Seguro Rural (PSR). Conforme a pasta, muitos agentes financeiros só liberam o crédito rural para cultivos em áreas zoneadas.

Para ter acesso aos indicativos do ZARC, os produtores podem consultar a plataforma “Painel de Indicação de Riscos” ou no aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, disponível nas lojas de aplicativos:  iOS e Android. 

Fonte: Brasil 61