Anúncio

Nº de médicos quadruplica em 34 anos no Brasil; desigualdade entre regiões persiste

Dados mostram concentração maior no Sudeste e nas grandes cidades.

O Brasil tem 575.930 médicos ativos, uma proporção de 2,81 por mil habitantes, a maior já registrada no país, de acordo com levantamento divulgado nesta segunda-feira (8) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Os dados integram a pesquisa batizada de “Demografia Médica” e consideram dados verificados até janeiro de 2024. Veja destaques e análises do levantamento:

  • Quantidade de médicos mais que quadruplicou desde o início da década de 1990, quando o total era de 131.278;
  • Crescimento foi impulsionado pela expansão do ensino médico e a crescente demanda por serviços de saúde;
  • Há disparidade na concentração entre as capitais e cidades do interior52,4% estão nas 27 capitais, enquanto os demais 47,6% atuam nas mais de 5 mil cidades do interior;
  • Do total atual de profissionais ativos, 263 mil (46%) são médicos generalistas e outros 312 mil (54%) são especialistas;
  • Entre os médicos homens, a idade média é de 47,4 anos; para as médicas, a média é de 42 anos;
  • Entre os médicos com 39 anos ou menos, as mulheres já são maioria, somando 58% em comparação a 42% dos homens;
  • Com o indicador de 2,81 por mil habitantes, o Brasil supera EUA, Japão, Coréia do Sul, México.

Para o presidente do CFM, José Hiran Gallo, o atual cenário aponta tendências que devem ser avaliadas com atenção.

A média dos países da OCDE era de 3,7 médicos por mil habitantes, segundo o levantamento mais recente disponível, com dados de 2021. Se os dados da OCDE forem considerados para elaborar um ranking da densidade médica, o Brasil avançou da 43ª posição (em 2021) para a 35ª com os dados atuais.

Para Gallo, o crescimento é influenciado pelas novas políticas de educação médica implementadas, especialmente nas últimas duas décadas.

Distribuição dos médicos pelo Brasil

Apesar do aumento do total contingente de médicos, um dos maiores do mundo, o CFM aponta que ainda há um cenário de desigualdade na distribuição.

👉 Para efeito de comparação, o número de médicos na Região Norte do Brasil só supera o índice de países como Índia, África do Sul e Indonésia, segundo dados da OCDE de 2021. Enquanto isso, o número no Sudeste equivale ao patamar encontrado na Europa, em nações como Reino Unido, França e Israel.

Raio-x dos médicos

Segundo o levantamento Demografia Médica CFM – Dados oficiais sobre o perfil dos médicos brasileiros em 2024, o número de médicas no Brasil vem aumentando. Em 2023, os homens eram 50,08% do total, enquanto as mulheres compunham 49,92%. A estimativa é que, ainda em 2024, o número de médicas ultrapasse o de médicos. Atualmente, entre os profissionais com 39 anos ou menos, as mulheres já são a maioria, representando 58% em comparação a 42% dos homens.

Fonte g1

Próxima postagem